Catedral de Campinas vai ganhar iluminação LED Sua Obra
Notícias

Aqui você encontra
novidades que acontecem
no Brasil e no mundo.

Imprimir

Catedral de Campinas vai ganhar iluminação LED

Iluminação em LED Campinas.  ( Guia da Construção )
Atualizado em 17/11/2014 - 20h10 | Maria Teresa Costa
teresa@rac.com.br

A Catedral de Campinas vai ganhar iluminação LED (da sigla em inglês para Diodo Emissor de Luz) , com tonalidades calculadas para realçar a beleza dos altares, imagens e da nave central.
 
A opção por utilizar esse tipo de iluminação, que já está presente nas mais famosas catedrais do mundo, como a Notre Dame, de Paris, foi motivada pela economia no consumo, pela redução do custo de manutenção e durabilidade que a tecnologia proporciona. Parte dos recursos necessários ao projeto foram aprovados pelo Ministério da Cultura.

A verba, de R$ 500 mil, virá de uma emenda parlamentar ao Orçamento da União, do deputado federal Guilherme Campos (PSD).
 
Participação
 
Como a Catedral não pode receber o recurso diretamente, foi necessário a participação da Prefeitura como proponente - um convênio entre o ministério e a Administração foi assinado e a Prefeitura irá repassar o recurso à Arquidiocese de Campinas. Serão R$ 500 mil do ministério e mais R$ 5,1 mil em contrapartida. Os recursos serão utilizados no projeto de sonorização e luminotécnica do templo
O projeto de luminotécnica foi proposto para todo o interior e exterior do templo.
 
Com os recursos liberados será possível iluminar a nave central, os altares mor e laterais e a nave central. "O uso de LED vai baixar muito nosso consumo de energia e custo de manutenção. Essas luzes duram 15 anos" , disse o arquiteto Ricardo Leite, coordenador do projeto de restauro da Catedral. "Teremos aqui uma iluminação de primeiro mundo" , afirmou.
 
Ressaltam detalhes
 
As luzes, disse Leite, irão ressaltar a monumentalidade e excelência arquitetônica presentes na talha de Mestre Vitoriano dos Anjos e na elaboração dos vitrais, que simbolizam a fase de grande desenvolvimento urbano vivido pela cidade de Campinas ao longo do século 19, graças à economia cafeeira. 
A Capela do Calvário, na saída para a Rua Costa Aguiar, onde tem a imagem de Cristo Crucificado, também já tem verba prometida para o restauro, da Skina Magazine.
 
A loja vai utilizar recursos do Imposto Sobre Mercadorias e Serviços (ICMS) para ajudar a financiar o projeto de recuperação da capela, orçado em R$ 250 mil. O coordenador do projeto disse que prospecções feitas na capela encontraram pinturas ornamentais, que serão recuperadas. O projeto para a captação da verba será protocolado no início do ano no Programa de Ação Cultural (Proac) do governo do Estado, que permite que parte do ICMS pago pelo contribuinte seja revertido para o patrocínio de projetos culturais aprovados pela Secretaria de Estado da Cultural.
 
Patrimônio
 
A Catedral é patrimônio municipal, estadual e está prestes a se tornar patrimônio nacional. O templo está em processo de tombamento no Instituto de Patrimônios Histórico e Artístico Nacional (Iphan) e se for aprovado, permitirá à Catedral disputar verbas federais para a conclusão do restauro. O pedido para tornar a edificação patrimônio nacional foi feito pela Associação Comercial e Industrial de Campinas (Acic).
 
Na primeira fase do restauro foi captado pela lei Rouanet R$ 1,58 milhão e destinado à troca do telhado do templo para eliminar as infiltrações que, em dia de chuva, permitiam a entrada de água que acabavam danificando altares e chão do centenário templo. O telhado foi construído em três lances. Um, sobre a nave central, outro, do altar-mór e Capela do Santíssimo e outro que atravessa a igreja em frente ao altar-mór. Também foi feita a restauração do teto, com reformas na parte hidráulica e elétrica. Os três imensos lustres de cristais também passaram por restauro. O templo está agora na segunda fase do restauro.

Verba no fim

Os recursos conseguidos até agora pela Arquidiocese de Campinas para a segunda fase do restauro da Catedral acabam no final do ano e as obras precisarão parar se não conseguir captar R$ 4,3 milhões necessários à conclusão do projeto. A Arquidiocese conseguiu autorização do Ministério da Cultura, em 2012, para captar R$ 7,1 milhões para as obras, utilizando os benefícios da lei de incentivos fiscais (Lei Rouanet), e desse total obteve R$ 2,8 milhões, suficientes apenas para o restauro das fachadas. A autorização para captação vence no final do ano, e se não conseguir a verba, a recuperação dos sistemas elétricos e hidráulico e de comunicação terão que esperar.
 
Até o final do ano os andaimes sairão da fachada do templo. Segundo o arquiteto Ricardo Leite, responsável pelo restauro, a parede frontal está pronta, toda a argamassa foi trocada, os anjos restaurados e dois dos quatro evangelistas da fachada estão recuperados. Faltam, segundo ele, a recuperação dos ornamentos, mas que estarão prontos até o final do ano.
 
Chance
 
Os recursos obtidos até agora vieram dos bancos Itaú e Bradesco e das empresas de alimentação Ticket, Alelo, Sodexo e FMC que foram negociados pelo deputado federal Guilherme Campos (PSD). As empresas utilizaram a lei de incentivos fiscais permite a destinação para projetos de cunho cultural de 4% do Imposto de Renda (IR) devido pelas empresas (pessoa jurídica) e 6% para pessoas físicas.
 
A Catedral tem chances de obter os recursos que faltam com a venda do potencial construtivo do templo, mas a burocracia da Prefeitura está travando essa possibilidade. Para ir ao mercado vender o potencial, a Catedral precisa possuir o certificado de transferência de de potencial construtivo decorrente do tombamento (CPC-T).
 
Guia da Construção